Conheça a empresa que já congelou mais de 150 pessoas nos Estados Unidos na esperança de fazê-los voltar a viver

Lembra do filme Vanilla Sky, com o Tom Cruise, onde ele é congelado em tanques de hidrogênio e vive uma ” realidade virtual ” ? Pois é, tirando a parte da realidade virtual, o congelamento de humanos esperando que novos avanços da medicina possam trazê-los de volta a vida já existe deste os anos 70, custa a partir do  mesmo valor que um carro importado,  e já possui quase 150 pessoas congeladas, incluindo alguns brasileiros, e mais de 1400 ” clientes” aguardando a morte para passarem pelo processo de ” criopreservação!

Seja bem vindo á Fundação Alcor de extensão da vida ( Alcor Life Extension Foundation ) !

Que tal ficar congelado neste tanque por 300 anos aguardando a medicina evoluir para voltar a viver?

Conhecida simplesmente como ” Alcor” , é uma organização sem fins lucrativos , com sede nos Estados Unidos em Scottsdale,  Arizona.

A empresa realiza pesquisas há décadas sobre criopreservação de humanos, e executa os procedimentos de criogenia em sua mega estrutura física desde os anos 80. 

Em 31 de maio de 2016, a Alcor tinha mais de 1.448 membros – as pessoas que já autorizaram o seu congelamento no momento da morte –  e 146 na criopreservação, como corpos inteiros ou cérebros, em seus tanques de hidrogênio nos Estados Unidos.

Há também 33 animais de estimação preservados. 

O gráfico abaixo mostra o rápido crescimento da sua base de clientes em todo o mundo.

Número de membros aguardando a ” extensão de vida ” , ou seja que irão ser congelados quando morrerem

E esta tabela a seguir mostra o número de pacientes já ” congelados” nos tanques de hidrôgenio da Alcor nos Estados Unidos

Number of Alcor patients

Fundada por Fred e Linda Chamberlain, em 1972 na Califórnia, a Alcor inicialmente divulgava o movimento da criogenia através de palestras e malas diretas para atrair interessados sobre o tema. Seu primeiro evento na década de 70 ocorreu com somente 30 pessoas presentes.

Em 1976, o primeiro corpo humano foi preservado. Quem recebeu os procedimentos foi o pai de Fred Chamberlain. Na época a Alcor era basicamente uma van com estruturas para cirurgias e congelava seus ” clientes” em uma empresa terceirizada. A partir de 1982, iniciou a criopreservação em tanques de hidrogênio próprios.

LEIA TAMBÉM  Comic Con - conheça o maior evento da cultura pop

Durante a década de 90, em diversas conferências sobre Criogenia, realizadas nas principais capitais do mundo, tiveram presenças importantes do mundo artístico e científico como simpatizantes do tema, ajudando imensamente a aumentar a credibilidade do movimento e da Alcor, destacando o fato da empresa não possuir fins lucrativos e o papel de pesquisa científica sobre a criopreservação.

Timothy-Leary-Los-Angeles-1989.jpg

O pai do LSD, Sr. Leary em pessoa

Entre eles, Timothy Leary, o inventor do LSD e pesquisador famoso sobre drogas psicodélicas, Eric Drexler, o pai na nanotecnologia molecular e pesquisador do MIT; Ralph Merkle, inventor da criptografia e Ray Kurzweil, cientista e futurista envolvido em campos como inteligência artificial e reconhecimento de fala,  entre outros pesos pesados do mundo científico.

Quanto custa congelar seu corpo

A Alcor oferece dois tipo de ” pacotes” para a criopreservação.

Para congelar o seu corpo todo – produto chamado de ” criopreservação de corpo total”,  o custo é a bagatela de 200 mil dólares e mais 10 mil dólares se o procedimento ocorrer fora dos Estados Unidos.

Há uma opção mais barata, chamada de ”  neurocriopreservação” , onde somente o cérebro é congelado, e custa 80 mil dólares e inclui a mesma taxa de 10 mil dólares se o processo ocorrer fora dos EUA.

A opção pela preservação do crânio é a mais popular, pois acredita-se que, caso a medicina atinja o nível de recuperação celular de corpos criopreservados, garantindo a “retomada” da vida dos mortos congelados, a tecnologia de criação de órgãos e membros estará tão avançada que somente o cérebro do paciente, com suas memórias e experiências passadas, será necessário para a ” extensão da vida”, que será simplesmente “plugado” á um novo corpo e órgãos.

Na teoria , um paciente da Alcor de 100 anos congelado poderá ter um corpo de 20 anos novamente e continuar sua vida normalmente, até repetindo o procedimento ao final desta nova etapa!

Imaginem as possibilidades!

Está com 80 mil dólares sobrando? Saiba como se congelar

Primeiro o interessado deve se tornar ” membro” da Alcor, que funciona como uma espécie de plano funerário. As documentações e autorizações do cliente ficam todas regulamentadas e o valor a ser pago para a Alcor realizar o processo de criogenia do corpo em caso de morte fica vinculado ao plano de saúde que o cliente paga todos os meses ou através de apólices de seguro de vida, garantindo o recebimento para a Alcor.

LEIA TAMBÉM  Tudo o que você precisa saber para ser mais feliz

Os membros que se inscreveram usam pulseiras de alerta médico informando hospitais e médicos para notificar Alcor em caso de qualquer emergência.

No caso de uma pessoa próxima da morte, como ocorre em casos da câncer, velhice ou doenças crônicas, a Alcor é avisada e pode enviar uma equipe para standby remoto. Em alguns estados americanos e em outros países, os membros podem assinar certificados afirmando que pretendem recusar uma autópsia.

Alcor, centro de cirurgia para crio preservação

Centro de cirurgia da Alcor nos Estados Unidos

O corte dos órgãos do corpo ( especialmente o cérebro ) e vasos sanguíneos necessários para uma autópsia torna difícil preservar o corpo ,  sem causar danos ou a perfusão do órgão com glicerol .

A esperança de todos os clientes da Alcor é que a nanotecnologia celular poderá, no futuro, reverter os danos celulares que ocorrem com a morte cerebral e com o processo de congelamento do corpo.

Segundo os manuais de operações da Alcor, o processo de preservação deve iniciar o mais próximo possível da morte do cliente, e no máximo uma hora após a morte cerebral. Quanto mais tempo levar para iniciar o processo, menor a chance de preservação celular, diminuindo as chances de ressuscitação futura, que precisa ” reverter” os danos causados nas células na hora do congelamento

 Nos casos de espera remota, o suporte cardiopulmonar é iniciado logo que o paciente é declarado legalmente morto.

A Alcor tem uma rede de paramédicos em todo os Estados Unidos e sete cirurgiões, localizados em diferentes regiões, que estão de plantão 24 horas por dia.  Se um paciente da Alcor é atendido por uma equipe de espera (geralmente em um hospital, hospício, ou em casa), a equipe irá realizar a manutenção dos sinais vitais do cliente o máximo possível,  para manter o fluxo de sangue para o cérebro e os órgãos, até a chegada na estrutura da Alcor.

Os pacientes são transportados para a sede da Alcor em Scottsdale, onde passam por preparações finais no laboratório de circulação extracorpórea, mantidos em soluções de nitrogênio líquido.

alcor

Centro Cirúrgico lotado durante um processo de congelamento

Ao chegar na Alcor, o paciente é atacado por cirurgiões que trabalham para ter acesso aos grandes vasos sanguíneos do corpo para iniciar as doses de heparina, um anticoagulante que irá permitir o fluxo sanguíneo enquanto a temperatura do corpo é diminuída lentamente até o congelamento, sempre com o objetivo de preservação celular. A meta é efetivamente congelar o corpo sem a destruição celular que ocorre em uma morte normal, preservando a membrana celular.

LEIA TAMBÉM  10 formas bizarras que o cérebro te engana

alcor

Lembrando que, em caso da escolha mais popular da preservação apenas do cérebro, os cirurgiões irão ” serrar” o pescoço do cliente para o congelamento, descartando o restante do corpo para funerais comuns.

alcor heparina

As soluções contendo heparina são administradas no corpo do paciente

O paciente agora é transferido da sala de cirurgia para a instalação de cooldown, onde a temperatura do seu corpo irá chegar a -130 ° C e ocorre sob controle de softwares. Este processo é conhecido como ” vitrificação ” ( solidificação sem congelação) .

alcor vitrificação

Processo de vitrificação na Alcor

Em seguida, os pacientes que tiveram apenas o seu cérebro congelado, são colocados em tanques de alumínio individuais

alcor, tanques de aluminio, extensão de vida, criogenia

Tanques de alúmínio individuais para o cérebro dos ” clientes”

E os pacientes são finalmente inseridos em tanques de hidrogênio, com temperaturas até -200º C para o congelamento de longo prazo.

alcor tanques de hidrogênio

Tanques de Hidrogênio na Alcor

E pronto!  Melhor do que ” ao pó voltarás” que está na Bíblia não é mesmo?

 

E por fim, o cliente congelado também tem direito á um armário de 60 cm quadrados para guardar alguns pertences. Segundo informações na internet, a maioria guardou barras de ouro nestas caixas, pois historicamente é um dos poucos metais que não perde valor ao longo dos anos, e ao menos na teoria, serviria de ” moeda de troca de valores ” para as pessoas quando descongeladas.

 

Famosos que já estão congelados ou que já são clientes

Peter Thiel, alcor life extension

Peter Thiel, fundador do Pay Pal, é cliente da Alcor

Alguns notáveis incluem Dick Clair, um ganhador do Emmy e escritor de sitcoms, a lenda do beisebol Ted Williams e seu filho John Henry Williams, a pesquisadora Aubrey de Grey, o pioneiro na área de nanotecnologia Eric Drexler , o famoso engenheiro Keith Henson e sua família , o empresário Saul Kent , o inventor Ray Kurzweil , o cineasta Charles Matthau , o  fundador do PayPal  e capitalista de risco Peter Thiel , o pioneiro da Internet Ralph Merkle , o empresário canadense Robert Miller, o matemático Edward O. Thorp, o apresentador de rádio Mark Edge, e o especialista em segurança de computadores Kenneth Weiss entre outros famosos que não tiveram seus nomes revelados.

 

Compartilhe