Sonystas X Caixistas X Nintendistas X PCistas : A Guerra dos Gamers

Ah, a indústria dos Games! No passado, um mero meio de entretenimento para crianças, tão desvalorizado no mercado que cada geração era dominada apenas por uma, no máximo duas, opções de console.  Hoje, no entanto, virou um multibilionário setor que já bateu o cinema e está começando a surrar a televisão. O antes pequeno e destinado para crianças “Vídeo Game”, se tornou gigante e destinado para adultos, arrastando adeptos dos todos os cantos do planeta, agarriando importancia frente a economia do entretenimento e gerando uma guerra entre as empresas que envolvidas nesse ramo. Atualmente temos mais de um console para escolher e logicamente, isso resultou em briga e discussão.

Engana-se, porém,  quem pensa que essa “briga” é somente entre as empresas fabricantes do console. O fato dos videogames acompanharem os gamers desde a sua infancia acabou por criar um vínculo entre ambos. Vínculo esse que estimulou o fanatismo. Fanatismo que criou divisões e enfim, uma verdadeira batalha entre adeptos dos lados. E assim, dessa forma silenciosa e gradativa,  que no mundo maravilhoso dos desocupados foi tomado de assalto por uma discussão que fica cada dia mais intensa: Qual é a melhor opção de plataforma para games?

Parece bobo – e realmente é – todavia, a falta de emprego e de sexo dos players vem fortalecendo essa ideia de segregação nesse universo, o que ocasionou em grupos, aonde cada um defende sua bandeira, em batalhas recheadas de preconceito e intolerância na Internet.

Sonystas, Caixistas, Nintendista e PCistas, essas são as principais facções que guerreiam em duelos travados com muito xingamento pelos fóruns e redes sociais. Quem seria o melhor: Sony e o seu Playstation? Microsoft e seu X-Box? Nintendo e seu Wii – e mais recentemente o Wii U? Ou o computador continua ainda sendo a melhor alternativa na hora de jogar?

Como era de se esperar, o Ah Duvido não poderia deixar uma questão TÃO IMPORTANTE COMO ESSA passar assim, em branco! Resolvemos fazer uma analise e colocar a nossa opinião aqui sobre o assunto. Veja no que resultou:

Sonystas

Pontos Fortes: Uma coisa que eu sempre digo é que o Playstation, ao contrário de alguns consoles, é feito para gamers! A Sony sempre opta em ter o melhor sistema de jogabilidade, desempenho gráfico e principalmente, franquias exclusivas. Esses dois últimos, com toda certeza são os pontos fortes e as principais armas dos Sonystas: desempenho gráfico e franquias exclusivas. Jogos como “God o f War” e “Last for Us” podem somente ser encontrados para Playstation 3, o que dá um prestígio ao console. Já sobre o desempenho gráfico, acredito que o Playstation 3 lidere nesse quesito. Nenhum outro console –  a não ser o próprio PC – conseguem atingir tamanha eficiência na hora de executar os gráficos do game, assim como, nenhuma outra empresa proporciona as produtoras essa oportunidade de abusar da qualidade gráfica. E isso, para gamers, especialmente os mais hardcore e críticos, termina por ser fator determinante de escolha.

Pontos Fracos: O primeiro ponto fraco do Playstation 3 é o seu sistema Online, a famosa Playstation Network. Quem nunca tentou jogar e se deu conta que novamente – e de novo – a rede dos sonystas havia sido atacada por hackers? Foram tantos os ataques nos últimos anos que já teve sonysta perdendo a conta – sim, foi um trocadilho –  e o sono.

O segundo ponto fraco é a incrível capacidade que a Sony tem de perder seu bem mais valioso: franquias exclusivas. Você pensa: “Ei, esse game vai ser lançado só para Play 3, ainda bem que eu comprei o Play 3…”  e quando vê, o PC já está com o título e o X-Box com a DLC do game, antes mesmo da Sony. Isso certamente os Sonystas se morderem de tanta raiva, já que um dos seus principais argumentos de defesa são as fantásticas franquias exclusivas para o Play 3 ( que cá entre nós, só são exclusivas até atingirem a casa dos milhões de vendas, daí eles dão um jeitinho de quebrar o contrato e já era!)

O terceiro ponto fraco é o preço para um gamer brasileiro manter um Play 3 “bem alimentado” de games. Os impostos são altos e piratear pode significar a “morte” do console. Assim, o Play 3 acaba lembrando a velha época do SNES para os menos favorecidos financeiramente, pois tem que optar entre um título e outro, muito diferente, por exemplo, dos consoles que permitem a pirataria.

Conclusão: PlayStation 3 é uma das melhores opções quando o assunto é plataforma gamer. Talvez a melhor entre os consoles. Contudo, o “melhor” vai depender muito ao quesito nos quais você se atém. Acredito que entre os gamers – e quando digo gamers, falo gamers mesmo e não os casuais – o PlayStation 3 e a Sony representam a inovação e convenhamos, nada é mais esperado pelos players do que INOVAÇÃO, principalmente no campo gráfico e nisso a Sony detona quando projeta seus consoles.

Caixistas  

Pontos Fortes: X-Box, o console da Microsoft chegou prometendo mundos e fundos no mercado dos Games. Não cumpriu com a metade, foi pior que político depois de eleito. Mesmo assim, tem suas qualidades… muitas por sinal. X-Box possui um ótimo desempenho gráfico, não tão bom quanto o do Play 3 – dependendo do jogo – mas ainda excelentes.

A X-Box Live, rede de serviços Online de Games para o X-box é mais segura que a PSN e mais rápida, apresenta mais opções e facilita  a interatividade entre os usuários, embora também tenha seus defeitos, já que hora ou outra sofra ataques hackers, ainda que sejam inferiores em “magnitude” se comparados aos sofridos pela PSN.

Os Caixistas brazucas ainda tem a seu favor a questão custo X Beneficio. Sabem como é no Brasil: só falta ter imposto para respirar. Quem quer gastar pouco – em resumo, quer piratear os games (seu safado) – e ter mesmo assim uma experiência de entretenimento digna de Gamers, o X-Box é uma ótima opção. O player pode, por exemplo, baixar o game no computador e passar para o HD do console, o que aumenta o tempo de vida útil do console pois poupa o leitor e não causa o famoso superaquecimento.

Pontos Fracos: Promessas. Quantas promessas. Começando pelo Kinect. Quem não lembra do Kinect pré-lançamento? Era fantástico demais para ser verdade…. e estávamos certos, tinha carroço nesse angu! Foi lançar para percebemos o quão ruim era esse novo sistema de jogabilidade para o X-Box.

Depois disso tivemos alguns episódios épicos de promessas não cumpridas. O estilo “tiro no escuro” que a Microsoft adota faz com que a empresa sempre afirme meses antes do lançamento de uma nova franquia extremamente foda que terá exclusividade sobre os direitos autorais! Sempre toma à dianteira, dizendo que vai abocanhar a franquia e no final, quem fica com ela é a Sony!

Quando não é isso é as novas promessas de comprar franquias já consagradas, como foi o caso do Monster Hunter, game exclusivo de Wii que a Microsoft disse que traria para o seu console. E fico apenas por dizer….

Enfim, a X-Box perde muito em títulos exclusivos e ainda extrapola a paciência dos players com suas promessas não cumpridas.

Conclusão: Melhor em custo X beneficio para os brasileiros e o pior em sistemas “remote”, com o seu Kinect.

Nintendista

Pontos fortes: É complicado. Como a Nintendo pode entrar na Batalha contra esses dois gigantes? O Wii, ao meu ver, é um game unicamente de “casuais”. Alias, essa é na minha opinião um dos seus dois pontos fortes: gamers casuais.

O console é projetado para diversão da família, para você jogar com pessoas que nunca colocaram a mão em um vídeo game e ainda assim se divertir. É ótimo para você animar uma festa colocando um Just dance ou para criar uma recreação numa academia…. mas se analisarmos pela visão de um gamer não-casual, raramente existirá aquele que optará pelo Wii.

O Segundo ponto forte do Wii se chama “clássicos”. Ele lança novos títulos de franquias que são marcos na história do Video Game como Zelda, Donkey Kong e Super mario. Esse sensação de nostalgia que a Nintendo proporciona com os seus “queridinhos” e o compromisso de sempre lançar um novo título deles é o que ainda salva a empresa na hora do gamer fazer a escolha.

Pontos fracos: Muitos. Muitos mesmo! Nintendo não tem mais capacidade de competir no mercado dos gamers, na minha sincera opinião. Seus consoles não conseguem atingir o desempenho dos seus rivais, não chegam nem perto disso. Salvo os títulos clássicos, os demais são quase inteiramente destinados à gamers casuais. Uma vez por século aparecem títulos exclusivos da Nintendo que agradam um grande publico e ainda, entre esses, são poucos o que disponibilizam um sistema de jogo online de qualidade.

Creio que se continuar assim, a Nintendo escolha por seguir um segmento novo de mercado – os dos gamers casuais –  e deixe o velho e já crescido mundo dos gamers reais de lado.

Conclusão: É excelente … se você for um gamer casual!

PCistas

Pontos fortes: O único que não é console dessa lista, mas ainda assim, com certeza, uma das melhores opções entre as plataformas. Nenhum dos consoles conseguem atingir o desempenho de um computador configurado com um hardware de ultima geração.

Além disso, o PC sempre dá um jeito de quebrar com as “exclusividades”. Você lembra do “Dark Souls” que nunca seria lançado para PC? Pois é, foi lançado! Lembra do GTA IV que nunca iria ser lançado para PC? Pois é, foi lançado. E assim por diante, vários títulos que nunca iriam ser lançados para PC …. foram lançados!

Ainda há casos que somente o PC ganha a expansão dos games pois é uma plataforma infinitamente mais fácil de construir e menos dispendiosa para as produtoras, tal como foi o caso do Skyrim em que o Play 3 penou para conseguir a DLC.

Pontos Fracos: Mobilidade. Nisso que se resumem os pontos fracos do PC. Não tem como você levar um desktop para o lugar que você bem entender. Dá trabalho e é chato.

Em compensação, no quesito Games Online, nenhum console consegue bater o PC.

Outro ponto fraco do PC é que dificilmente há grandes títulos exclusivos. Excetuando os games que são feitos por produtoras de Games Onlines, como os MMORPG’s, os demais sempre saem para os consoles também.

Conclusão: Melhor em desempenho e Games Online e  fraco para exclusividade de franquias e mobilidade.

E você leitor, o que acha? Qual a melhor escolha?