A Lança do Destino: a arma que feriu Jesus em posse de Hitler?

Lança do Destino

Você já ouviu falar sobre a Lança do Destino? Essa arma, também conhecida como Lança Sagrada, é um dos artefatos mais misteriosos de todo o mundo. Segundo o evangelho de João, no capítulo 19 da Bíblia Sagrada, esse foi o instrumento usado pelo soldado romano para perfurar o abdômen de Jesus Cristo durante a crucificação.

A partir desse relato bíblico, essa arma também esteve presente em diversas outras histórias. As suas diversas aparições nas eras indicam que a Lança do Destino possui uma certa força ou poder místico. Supostamente, grandes nomes do passado, como Carlos Magno, Napoleão Bonaparte e Adolf Hitler, desejavam ter a posse dessa arma. Segundo a lenda, esse artefato daria o poder de conquistar o mundo.

Por conta desse mito, Hitler, o perseguidor dos judeus e muitas outras minorias, a desejava mais do que qualquer coisa. Será que ele foi capaz de colocar as mãos na Lança do Destino? Se sim, porque ele veio a perder aquela que ficou conhecida como a Segunda Guerra Mundial? Teria esse artefato sido perdido e levado para o país que saiu vitorioso do conflito, no caso os Estados Unidos?

Por onde andou a Lança do Destino

Lança do Destino

No livro “A Lança Sagrada de Hittler”, o pesquisador Pedro Silva aborda esse assunto tão enigmático. Diversas narrativas míticas e fatos históricos são apresentados com o objetivo de entender como essa Lança do Destino se tornou um item tão desejado em nosso mundo. O desejo do líder da Alemanha durante a Segunda Guerra Mundial despertou ainda mais curiosidade para esse assunto. Porém, antes de mais nada, precisamos descobrir por onde essa Lança do Destino esteve antes de chegar nas mãos do ditador nazista.

Desde o momento da crucificação, essa lança foi representada como uma relíquia religiosa de valor inestimável. Ela também é considerada um grande símbolo do cristianismo, assim como o Santo Graal e a Coroa de Espinhos. Com o passar dos anos uma lenda bastante curiosa passou a acompanhar a Lança do Destino. Quem tivesse posse desse objeto teria a capacidade de conquistar o mundo.

O primeiro relato sobre a descoberta da lança foi descrito cerca de 500 anos depois de Cristo. A pessoa em questão, um historiador da época, afirmou que viu em um dos lugares santos de Jerusalém, a Coroa de Espinhos e a Lança do Destino que teria perfurado o abdómen de Jesus Cristo. Depois das Cruzadas, essa lança passou pelas mãos de muita gente diferente.

De Constantino a Hitler

Lança do Destino

Em posse dessa arma, o Imperador Constantino de Roma chegou a afirmar que a lança o guiou durante as diversas batalhas do império. O general franco Carl Martel também alegou ter usado essa mesma relíquia em seus confrontos. Já o imperador Carlos Magnos, conhecido por ter dominado boa parte do que é conhecido hoje como Oriente Médio, afirmou ter vencido 47 conflitos por causa da Lança do Destino. Até mesmo Napoleão Bonaparte esteve em posse dessa lança.

Em 1912, a lança passa à posse da Casa de Hapsburgs, fazendo parte de uma coleção no Museu de Hofburg em Viena. Em setembro desse ano, um jovem chamado Adolf visitou o museu e com o acompanhamento e orientação do Dr. Walter Stein, ficou sabendo sobre o histórico de poder da lança. Nesse momento Adolf ficou contemplando-a, e sentiu uma conexão mística entre ele e as gerações de conquistadores da história, já que ele tinha muito interesse em artefatos religiosos de poder.

Após essa visita, Adolf chegou a dizer:

“Eu fiquei lá tranquilo, olhando fixamente para a lança por vários minutos, esquecendo de tudo à minha volta. Ela parecia conter algo oculto em seu interior, que me evadia, parecia que eu sentia, eu sabia intimamente e não podia trazer à consciência… Eu sentia ainda como se eu mesmo a tivesse segurado antes em algum século passado da história. Que eu mesmo uma vez a tivesse clamado como meu talismã de poder e segurasse o destino do mundo em minhas mãos…”

Em posse de Hittler

Lança do Destino

Em 14 de Março de 1938, depois que o tal Adolf subiu ao poder como chanceler da Alemanha, anexou a Áustria e ordenou que a Lança, junto com o resto da coleção de Hapsburg, fosse enviada para Nuremberg, coração do movimento nazista.

Esse transporte foi feito em outubro desse mesmo ano, em um trem blindado da SS. Foi mantida na Igreja de St. Catherine por 6 anos, até que em outubro de 1944 foi construída secretamente uma abóbada subterrânea para protegê-la inclusive de um bombardeio pesado. Seis meses depois, em 30 de abril de 1945, às 14:10h, o exército americano invadiu a abóbada e resgatou a Lança e toda a coleção de Hapsburgs.

Segundo os registros, 80 minutos após esse incidente Adolf Hitler se suicidou com um tiro na cabeça. Hoje a Lança Sagrada foi devolvida para o Museu de Hofburg, e permanece envolta em mistério.