Entenda qual a causa da calvície e por que ficamos carecas

Causa da calvície

Em homens e mulheres, o cabelo é um dos atributos físicos que mais chama atenção. Esse é um dos motivos pelos quais ficar careca é um dos maiores medos contemporâneos. Afinal, a causa da calvície ainda não está totalmente esclarecida, o que causa ainda mais pânico e o surgimento de várias mentiras sobre esse assunto tão delicado.

Neste artigo, vamos tentar abordar a causa da calvície e os seus principais tipos. Sim, há diferentes tipos de condições que levam a perda de cabelo ou de todos os pelos do corpo. No final das contas, o nosso objetivo não é oferecer esperança para aqueles que estão nessa condição, mas munir cada um de informações para buscar o tratamento adequado.

Falando em tratamento, é sempre bom dar aquela dica básica. Não busque ajuda e medicamentos milagrosos na internet. Consulte um médico e siga estritamente as recomendações dadas pelo profissional de saúde. Como dissemos, não há uma causa da calvície muito bem definida. Portanto, há pessoas que ficam carecas e não há muito o se que fazer nesses casos.

Causa da calvície

Quais são as causas da calvície

Há um consenso na área médica: não há apenas uma causa da calvície. Um conjunto de fatores pode estar por trás da queda repentina ou gradual do cabelo ou outros pelos do corpo. Os principais fatores que levam à queda dos fios são herança genética, que pode ser materna ou paterna, distúrbios fisiológicos ou emocionais. Até mesmo o que se come pode levar a ser uma causa da calvície. Portanto, pare de culpar apenas seus pais.

O uso de uma alimentação correta pode levar a deficiência de nutrientes importantes para a saúde dos folículos do cabelo. Outro fator que pode ser uma causa de calvície é a falta de higiene adequada do couro cabeludo. Quando isso acontece, há um aumento da oleosidade, o que pode gerar a caspa e descamação da pele que reveste a cabeça.

LEIA TAMBÉM  O gosto de um cheiro? O som de uma cor? Entenda o que é a sinestesia

E acredite: até mesmo causas emocionais podem estar relacionadas à calvície. Há casos em que alterações nos níveis hormonais levam à perda total de cabelos. Como causas alternativas, podemos mencionar o uso excessivo de fixadores (géis e cremes), tratamentos químicos em excesso (tingimento, alisamento ou permanentes),o uso contínuo de secadores e banhos com água a uma temperatura muito alta. Todos esses fatores podem levar a um aumento da oleosidade do couro cabeludo e, consequentemente, a queda de cabelos.

Mas por que o cabelo cai?

O que leva a queda de cabelos?

Da mesma forma que a causa da calvície, não há uma única explicação para a queda do cabelo. Ele geralmente começa a cair por causa do afinamento dos fios ou a substituição dos fios por filamentos cada vez mais finos e menores. Isso geralmente acontece até a total interrupção do crescimento capilar.

A progressão desse problema leva à rarefação dos fios. Ou seja, a pessoa começa a ficar literalmente com poucos cabelos. Também temos o afastamento da linha de implantação do cabelo e um consequente aumento na região frontal da cabeça (popularmente conhecida como testa).

Os casos mais avançados (e comuns) da calvície são caracterizados pela ausência de cabelos na parte superior e frontal da cabeça. Nesses casos, é normal a manutenção dos fios nas áreas laterais e posterior da cabeça, criando aquela espécie de “coroa” de fios que envolve a cabeça do indivíduo. Como já se sabe, a calvície é mais comum em homens do que em mulheres. Isso acontece por causa da testosterona, que pode ser convertida para di-hidrotestosterona (DHT) que age sobre o folículo capilar causando essa desagradável condição.

Tipos de calvície

Tipo e causa da calvície

Assim como a causa da calvície, há diferentes tipos para essa condição. Nesse momento, vale ressaltar que a calvície também é conhecida pelo termo técnico alopecia. Essa palavra é usada para descrever as variações dessa condição, que explicaremos a seguir.

LEIA TAMBÉM  10 formas bizarras que o cérebro te engana

No caso da calvície masculina causada pelo di-hidrotestosterona, temos a alopecia androgenética. Para a perda repentina de cabelo em uma área particular é dado o nome de alopecia areata. A alopecia tóxica é caracterizada pela perda de fios devido a uma febre alta ou doença. Ela também pode acontecer pelo uso de alguns medicamentos que contenham tálio, vitamina A e retinóides.

Áreas que contenham cicatrizes de ferimentos, queimaduras ou infecções também podem limitar o crescimento de pelos. Esse á a calvície do tipo cicatricial. Por fim, temos a alopecia universal, o tipo mais agressivo da queda de cabelos. Nesse caso, acontece a perda total de cabelos e toda a pilificação do corpo, incluindo sobrancelhas, braços, pernas e pelos pubianos. Pacientes que se encontram nesse estado geralmente precisa de ajuda psicológica para enfrentar a situação.

Cura da calvície?

Existe cura da calvície

O fato de a calvície não possuir apenas uma causa é o que impossibilita o surgimento de uma cura universal para essa condição. O que pode ser realizado é um tratamento direcionado para o fator que está levando a queda de cabelos. Reposição hormonal, controle da alimentação com nutricionistas e hábitos mais saudáveis com o couro cabeludo são recomendações recorrentes dos profissionais de saúde.

Porém, isso não significa que não existam medicamentos que prometem a cura da calvície. A eficácia desses remédios ainda não é comprovada, bem como os efeitos colaterais que eles podem acarretar. O minoxidil e o finasterida são compostos que têm sido usados para estimular o crescimento capilar. Esses medicamentos dão resultados para uma pequena porcentagem de indivíduos, o que coloca ainda mais dúvidas sobre eles.

Alguns também recorrem ao uso de injeções de corticoide. Esse tem sido encarado com uma forma útil de combater a alopecia areata. Por fim, uma alternativa é recorrer ao transplante de cabelo. Essa opção acaba excluindo a necessidade de tratamentos convencionais, proporcionando vida nova e aumento da autoestima das pessoas que recorrem a esse método.