O que é a Síndrome de Anton?

Passar por um estágio de cegueira deve ser uma das piores sensações do mundo. Seja ela temporário ou definitiva, perder a capacidade de enxergar priva a pessoa de um dos sentidos mais importantes. Mas imagine um indivíduo que perdeu a visão, mas não consegue acreditar ou aceitar isso. Essa é a descrição perfeita para a chamada Síndrome de Anton, uma das condições clínicas mais curiosos que existe.

A Síndrome de Anton, também conhecida como agnosia visual, é um sintoma extremamente raro associado a danos cerebrais. Os portadores dessa síndrome perderam completamente a visão, mas ainda acreditam fortemente terem a capacidade de enxergar.

Mas, por que isso acontece? Ou melhor: como isso acontece? Como é possível uma pessoa estar cega, mas jurar ter a capacidade de enxergar perfeitamente? E o pior: quando confrontadas, as pessoas com a Síndrome de Anton agem de forma dissimulada ou até inventam para preencher a lacuna cognitiva derivada da cegueira. Vamos entender mais a respeito desse assunto a seguir.

A causa da Síndrome de Anton

Síndrome de Anton em pessoas cegas

Grande parte dos pacientes que apresentam os sintomas dessa síndrome sofreram um acidente vascular cerebral (o AVC, ou derrame, como é conhecido popularmente). Esse incidente acaba prejudicando o lobo occipital, prejudicando parcialmente ou completamente a visão. Porém, devido à grande quantidade de informações visuais que a pessoa acumulou durante a vida, o cérebro é capaz de preencher a falta de visão com imagens projetas

É exatamente como a Síndrome de Anton descreve. A pessoa não está enxergando, mas vê imagens projetadas por seu próprio cérebro. Parece impossível imaginar tal situação, mas ela só comprova a capacidade incrível de nosso intelecto. Somos capazes de criar a visão mesmo depois de perder essa habilidade. Incrível, não é mesmo?

LEIA TAMBÉM  10 truques para brincar com o seu cérebro !

Muito embora seja impressionante, as pessoas portadoras dessa síndrome realmente sofrem com a condição. Há relatos de uma mulher de 83 anos que, após sofrer um AVC, perdeu completamente a visão. Os médicos relatam que ela não acreditava estar cega e agia como se realmente não estivesse. Depois de aceitar sua condição, ela passou a fazer um tratamento que recuperou sua capacidade de identificar sombras, o que acabou despertando a atenção para a possibilidade de essa síndrome ser temporária.

Caso raríssimo

Pessoa cega sentada no banco

Como já foi dito, a Síndrome de Anton é uma condição extremamente rara. Poucas são as pessoas que sofrem um AVC e passam a apresentar os sintomas descritos acima. Porém, à medida que o compartilhamento de informações aumenta (com redes sociais, e-mails e a internet como um todo), conhecemos cada vez mais pessoas que possuem essa condição curiosa.

Embora bastante cruel com os pacientes, essa síndrome mostra como o nosso cérebro é realmente incrível. Mesmo após perder a visão, ainda conseguimos “enxergar” graças à memória visual que construímos com o tempo. No final das contas, podemos concluir que pessoas mais velhas ou que tenham uma vasta “experiência visual” possam vir a experimentar uma negação ainda mais forte para o fato de terem perdido a visão.

É bastante complexo lidar com essa situação. Da mesma forma que outras síndromes, que vão totalmente de encontro com crenças ou verdades de um paciente, fazer uma pessoa acreditar que não está enxergando é o mesmo que dizer para um religioso que Deus não existe. Portanto, é preciso muita paciência e cuidado ao tratar de pessoas que possuem a Síndrome de Anton.