As 6 armas mais letais criadas por Leonardo da Vinci

Leonardo da Vinci era uma pessoa de talentos múltiplos. Além de pintor, cientista, arquiteto, matemático, músico e poeta, o artista renascentista se destacou por conta de uma habilidade bastante prezada em qualquer época da nossa história: a de inventor. Diversas criações desse sábio inspiraram o surgimento de máquinas e vários artefatos que hoje são encarados como “modernos”.

Na realidade, o maior nome do Renascimento já havia criado vários conceitos que hoje são considerados banais para o ser humano. O tradicional equipamento de mergulho de profundidade (escafandro), o paraquedas, a asa-delta e até mesmo a bicicleta são creditadas à Leonardo da Vinci. Porém, outra categoria de produtos também parece fazer parte do portfólio do inventor. Dentro da sua mente, diversas armas de guerras foram criadas e muitas delas ganharam vida graças a tecnologia.

O tanque de guerra, metralhadoras, canhões, helicópteros e carros de assalto são apenas alguns exemplos de como as invenções de Leonardo da Vinci também tinham um propósito sombrio. Não que o próprio artista tivesse o instinto para criar armas, mas seu contexto acabou forçando algo do tipo. Neste artigo, vamos conhecer as máquinas de guerra de Leonardo da Vinci e entender como algumas delas funcionavam.

Leonardo da Vinci e as Maquinas de Guerra

Por que Leonardo da Vinci máquinas de guerra?

Antes de partirmos para essa lista da morte, vamos tentar entender o que motivava o cientista a criar essas máquinas de guerra. Leonardo di Ser Peiro da Vinci viveu entre os anos 1452 e 1519 na Europa antiga, permanecendo majoritariamente entre a França e a Itália.

Durante essa época, o continente passava por diversas instabilidades e conflitos. Talvez por instinto de sobrevivência, e para garantir o seu sustento em um período tão conturbado, Leonardo da Vinci acabou colocando seus serviços à disposição dos senhores de guerra, nobres poderosos que poderiam financiar a criação de seus inventos.

LEIA TAMBÉM  Os 5 acervos literários mais misteriosas que existem

Dessa forma, o artista renascentista mundialmente reconhecido por obras como Mona Lisa e A Última Ceia, também ficou conhecido por conta das máquinas de guerra que criou para os nobres da época. É verdade que muitas delas nem chegaram a ver a luz do dia. Porém, elas mostravam a competência e genialidade de Leonardo da Vinci, o que provavelmente garantiu sua longevidade em uma época de mortes prematuras.

Monalisa - Máquinas de Guerra de Da Vinci

1. Tanque blindado

Uma das invenções relacionadas à guerra mais atribuídas a Leonardo da Vinci é o tanque blindado. Trata-se de um veículo fortemente armado, mas que também conta com uma proteção para aqueles que estão em seu interior. O inventor criou essa máquina para o Duque de Milão, mas nunca foi de fato construída por causa das limitações tecnológicas da época.

Esse tanque blindado, também associado a um carro de assalto, possuía uma cobertura extremamente resistente para proteger aqueles que estivessem em seu interior. Na parte de dentro, vários canhões, dispostos em formato circular, desempenhariam a função de ataque dessa máquina de guerra.

É muito fácil ver a inspiração dessa obra nos dias de hoje. O próprio tanque de guerra, utilizado por várias nações no globo, utilizam o conceito de proteção que foi criado por essa invenção. Historiadores também acreditam que os projéteis dessa máquina, balas que se desintegrariam antes do impacto para aumentar o estrago, inspiraram para a criação de algumas munições atuais.

Tanque blindado - Máquinas de Guerra de Da Vinci

2. Besta gigante

Uma das coisas que Leonardo da Vinci entendeu mais que seus contemporâneos foi o conceito de medo de guerra. É por isso que algumas de suas criações são mais assustadoras do que realmente eficazes para o combate. Um bom exemplo é a besta gigante. Esse é uma espécia de arco com dimensões desproporcionais que lançaria pedras igualmente grandes em direção aos inimigos.

LEIA TAMBÉM  O mistério do filme "Inferno"

A construção teria 24 metros de comprimento e se movimentaria graças a três pares de rodas nas laterais. Além das dimensões, outro aspecto que manteria o medo das tropas seria a capacidade de lançar projéteis flamejantes em direção aos inimigos. Quão aterrorizante não seria ver uma bola de fogo gigantesca vindo em sua direção durante a guerra?

Besta gigante - Máquinas de Guerra de Da Vinci

3. Metralhadora de canhão

O conceito de uma metralhadora talvez tenha sido uma das primeiras armas que Leonardo da Vinci criou. O artista provavelmente percebeu o efeito positivo que disparar vários projéteis de forma sequencial teria para uma guerra. Por isso, criar uma metralhadora de canhão montada sobre uma estrutura móvel fazia todo sentido para uma batalha.

O projeto inicial de Leonardo era uma estrutura com 12 bocas dispostas em forma de leque. Esse formato serviria para aumentar o alcance da arma. Essa disposição também favorecia o carregamento, já que as outras extremidades do canhão estavam concentradas em apenas um lado. Porém, da mesma forma que o tanque blindado, essa é outra arma que não ganhou vida por conta das limitações tecnológicas do século XV.

Metralhadora de canhão - Máquinas de Guerra de Da Vinci

4. Barco encouraçado

O conceito de barco encouraçado parece se inspirada na ideia do tanque blindado em alguns sentidos. A ideia é que a estrutura externa protegeria todo o interior, mas o diferencial é que tudo poderia se abrir para revelar um poderoso canhão para destruição. Enquanto estivesse fechado, esse navio seria usado para avançar e dizimar pequenos barcos que estivem pelo caminho.

Porém, observando o desenho do barco, não se sabe como Leonardo da Vinci imaginou a propulsão dessa estrutura. Portanto, essa foi mais uma invenção do gênio que infelizmente não foi concretizada por conta da falta de tecnologia da época.

LEIA TAMBÉM  TOP 5: as cidades perdidas mais procuradas

Barco encouraçado - Máquinas de Guerra de Da Vinci

5. Catapulta

Embora o projeto de uma máquina para lançar objetos em direção às tropas inimigas não seja uma novidade para a época – como a besta gigante já mostrou –, a ideia da catapulta de Leonardo da Vinci se destaca por conta da engenhosidade e simplicidade. A arma usaria elásticos poderosos para disparar com força pedras gigantes em castelos e outras estruturas.
Uma das vantagens era a facilidade de rearmar novamente a catapulta. Homens simples poderiam ser instruídos a fazer isso, o que dispensava engenheiros e presença de guerreiros com grande conhecimento técnico. Historiadores acreditam que essa catapulta tenha sido utilizada durante alguns confrontos, tendo desempenhado um papel importante em algumas vitórias.

6. Carro-ceifador

Essa é provavelmente uma das armas mais assustadoras já concebidas por Leonardo da Vinci. A sua simplicidade assusta tanto quanto o seu poder. O carro-ceifador seria uma carroça puxada por cavalos que levaria à frente um mecanismo de lâminas rotativas. O objetivo era avança em direção às tropas inimigas cortando as pernas dos soldados e cavalos que estivessem pelo caminho.

Até mesmo o gênio inventor reconheceu a crueldade dessa arma. Além de extremamente assustador, esse invento trazia como desvantagem o fato de não fazer discernimento entre inimigos e aliados. Qualquer um que estivesse no caminho seria dilacerado pelas lâminas giratórios dessa máquina de guerra. Um perfeito horror que teria causado estragos inimagináveis se tivesse ganhado vida na época.

Carro-ceifador - Máquinas de Guerra de Da Vinci