Os 5 crimes mais horríveis cometidos pelo Ku Klux Klan

Crimes cometidos pelo KKK

O Ku Klux Klan, também conhecido pela sigla KKK, é uma verdadeira mancha na história da humanidade. Esse grupo, considerado de extrema direita (embora não tenha cunho político), defende ideias reacionárias e bastante extremistas. É deles ideologias como supremacia branca, o nacionalismo branco e a anti-imigração. Por conta desses sentimentos, vários crimes cometidos pelo Ku Klux Klan foram registrados na história.

Recentemente, esse grupo, que pode ser dividido basicamente em três movimentos distintos, tem levantado a bandeira contra outras causas. O nordicismo (enaltecimento da raça nórdica), o anticatolicismo e o antissemitismo passaram a fazer parte de alguns dos movimentos do Ku Klux Klan. Porém, apesar dessa separação, a forma de agir ainda é a mesma: através de terrorismo, ódio e ações violetas contra os grupos aos quais se opões.

Os crimes cometidos pelo Ku Klux Klan jamais vão ser esquecidos pela humanidade. Alguns até hoje chocam ao serem revelados, mostrando o quão ardilosos podem ser os membros do KKK. Neste artigo, vamos apresentar os maiores e mais horrorosos crimes cometidos pelo Ku Klux Klan. E que isso sirva de lição para que nunca mais cometamos o mesmo erro novamente.

1. Massacre da igreja Charleston

Crimes cometidos pelo Ku Klux Klan: o massacre da igreja de Charleston

Um dos mais recentes crimes cometidos pelo Ku Klux Klan aconteceu em Charleston, na Carolina do Sul. No dia 17 de junho de 2015, o atirador Dylann Roof entrou em uma igreja afro-americana e chegou disparando contra os fiéis que estavam no tempo. Nove pessoas morreram e seis ficaram feridas. Uma das vítimas foi o reverendo Clementa Pinckney, pastor da igreja e senador do estado.

Em 2016, o membro do KKK foi condenado na corte federal de 33 estados. Ele recebeu a pena máxima, a condenação à morte, mas ainda aguarda julgamento da Carolina do Sul por causa do assassinato das nove pessoas em 2015. Porém, o resultado provavelmente não vá mudar, tampouco a condenação de Dylann Roof, que deve encarar a pena máxima ainda em 2017.

LEIA TAMBÉM  As 6 armas mais letais criadas por Leonardo da Vinci

2. Judge Edward Aaron

A morte Judge Edward Aaron

Judge Edward Aaron era um jovem negro que sofreu nas mãos de membros do Ku Klux Klan. No ano de 1957, sete membros da seita raptaram Aaron e o espancaram durante um longo período de tempo. Depois de desferirem vários golpes usando barras de metal, os criminosos ainda castraram o jovem usando uma navalha. Para finalizar a crueldade, deixaram Aaron para morrer no meio do nada.

Para a sorte do jovem, a polícia o encontrou ainda com vida, mas bastante debilitado por causa dos bancadas e da perda de sangue. Após recuperado, a investigação teve início, e seis dos agressores foram acusados de tentativa de homicídio. Dois deles receberam uma pena de cinco anos, enquanto os demais passaram 20 anos na cadeia. O último suspeito não foi acusado e escapou completamente da condenação da justiça.

3. James Craig Anderson

James Craig Anderson assassinado pelo KKK

James Craig Anderson era um trabalhador afro-americano de 49 anos. Ele foi assassinado em 2011 por Deryl Dedmon of Brandon, de apenas 18. De acordo com a polícia, o jovem juntamente com seu grupo espancou Anderson até que ele não conseguisse mais se mover. Para finalizar o crime, o simpatizante do KKK atropelou a vítima usando uma caminhonete.

Em 2015, o julgamento dos assassinos finalmente foi revelado. O principal mandante, Deryl, foi condenado a 50 anos de cadeia. Outras dez pessoas que participaram desse crime cometido pelo Ku Klux Klan também foram condenadas e hoje vivem atrás das grades. James Craig Anderson trabalhava em uma empresa da Nissan e estava ajudando um parceiro de longa data a cuida de seu filho mais jovem.

4. A guerra em Tulsa

Tusla, em Oklahoma, em guerra

Mais um crime que foi endossado pelos membros do Ku Klux Klan. Em 1921, em Tulsa, estado do Oklahoma, a notícia de que um homem negro teria tentado estuprar uma jovem branca no elevador começou a ser espalhada por alguns jornais. Pouco tempo depois, vários grupos se reuniram para fazer um arrastão e eliminar todas as pessoas negras que encontrassem no caminho.

LEIA TAMBÉM  7 lugares que as pessoas acreditam ser mal-assombrados em São Paulo

Nessa manifestação, até mesmo policiais estiveram envolvidos. Eles provavelmente foram influenciados pelas palavras de ódio do KKK, que ajudou a convocar criminosos para essa matança. O clima de guerra praticamente se instalou em alguns bairros de Tusla. Várias casas foram invadidas. No total, 20 homem brancos morreram, enquanto 300 pessoas negras estiveram ferimentos ou foram assassinadas.

5. Martin Luther King Jr.

A morte de Martin Luther King Jr.

Um dos crimes cometidos pelo Ku Klux Klan mais conhecidos foi o assassinato de Martin Luther King Jr. O libertário a ativista em favor dos direitos dos negros foi morto por James Earl Ray em Memphis, estado do Tennessee, no dia 4 de abril de 1968.

De acordo com a polícia, James acreditava que o ativista era um traidor e que movia as pessoas contra o país para enfraquecer a economia e a política. Porém, ele já tinha histórico de agressão contra negros, o que, juntamente com o assassinato de Luther King, acabou rendendo uma condenação de 99 anos na prisão. Aos 70 anos, em 1998, o assassino faleceu e seu corpo foi cremado na Irlanda.