10 pessoas que simplesmente não puderam dizer adeus

10 pessoas que simplesmente não puderam dizer adeus (10)

Dizer adeus é uma das coisas mais difíceis que precisamos fazer em alguns momentos de nossas vidas. Ninguém quer fazê-lo, mas é uma parte necessária da vida, especialmente quando alguém morre. Mas às vezes algumas pessoas não têm a chance de dizer adeus, como é o caso das pessoas que vamos compartilhar nesta lista. São pessoas que simplesmente não puderam se despedir daqueles que amavam, pessoas que tinham alguém especial em sua vida e morreram de causas naturais. Os casos de hoje mostram pessoas que ficaram só e tomaram medidas extremas, a fim de manter os entes queridos presentes de alguma em suas vidas.

10. Howard Lewis

Howard Lewis  era casado com Elizabeth, de 34 anos. Durante os últimos cinco anos de sua vida, Howard cuidava de Elizabeth, que sofria de doença de Alzheimer. Um sábado de manhã em 2005, Howard acordou com sua esposa respirando estranhamente antes que ela finalmente ficasse imóvel. Mas ao invés dele chamar uma ambulância, ele saiu para comprar um jornal e fingiu que nada tinha acontecido. Lewis continuou fingindo durante cinco meses, toda noite ele ia até o quarto, tocava em seu rosto, e lhe dizia boa noite.

10 pessoas que simplesmente não puderam dizer adeus (10)

Para disfarçar o cheiro de decomposição, ele manteve a casa fria com purificadores de ar espalhados por toda a casa. Os amigos e vizinhos perguntavam a ele como Elizabeth estava, ele dizia que ela estava bem. No entanto as pessoas começaram a suspeitar pois não a viam há meses e chamaram a polícia. Ao entrar na casa, a polícia imediatamente sentiu o cheiro e Howard os levou ao corpo de sua esposa, onde ele admitiu ela ter morrido há cinco meses. Ele foi preso, mas não processado, principalmente porque o tribunal entendeu que ele sentira muito a morte da esposa e que não soube lidar com a situação.

9. Jean Stevens

Jean Stevens da Pensilvânia se casou com James, em 1942. Eles tinham uma vida feliz juntos, até que James sucumbiu à doença de Parkinson em 1999. Ele foi enterrado em um cemitério local… por alguns dias. Isto porque Jean foi o cemitério e desenterrou seu falecido marido. Ela o trouxe para casa e o colocou deitado no sofá em uma garagem individual.

10 pessoas que simplesmente não puderam dizer adeus (9)

Como se não bastasse perder o marido de quase 60 anos, sua irmã gêmea June também estava gravemente doente. Jean e June eram tão próximas que June se casou com o irmão de James. As gêmeos viviam a 320 quilômetros de distância, mas elas sempre mantinham contato, ligando entre si e escrevendo com frequência. Infelizmente, no dia 6 de outubro de 2010, June morreu de câncer. Jean decidiu então enterrar a sua irmã gêmea no quintal, mas depois de pensar mais e reconsiderar sobre o assunto,  ela decidiu que seria melhor manter a irmã deitada no sofá do quarto de hóspedes em sua casa. Seu falecido marido James foi vestido com seu melhor terno, enquanto que sua irmã June foi vestida com seu melhor vestido. E para encobrir o odor de decomposição, Jean pulverizava regularmente sua irmã com perfume. A polícia descobriu a situação quando recebeu um telefonema anônimo denunciando que ela estava abrigando corpos de pessoas mortas. Quando perguntado por que ela fez isso, Jean admitiu que ela não conseguia lidar com a morte.

8. Chan Yung Tong

10 pessoas que simplesmente não puderam dizer adeus (8)

Chan Yung Tong conheceu sua esposa, Katima Amy Ismail, numa empresa de transporte de Hong Kong, onde ambos trabalhavam. No início eles não eram muito chegados, até que um dia Chan ao ler seu jornal, menciona em voz alta que deseja assistir um filme no cinema, Katima ouve e diz que também queria ver o filme, e então eles foram juntos. A partir daí, a relação floresceu lentamente. Eles então se casaram em 1959 e o casal nunca teve filhos por causa de complicações de uma cirurgia. Aproveitando que viviam só, eles viajaram o mundo antes de se mudarem para Hong Kong  em 1986. Mas infelizmente, em 2001, Katima faleceu enquanto Chan segurava a mão dela. Chan nunca superou perder o amor de sua vida e visita túmulo de sua esposa todos os dias desde a sua morte. Aos 81 anos ele pega o ônibus e, em seguida, caminha meia hora no cemitério com uma bengala, o que torna a caminhada traiçoeira no inverno. Não importa como esteja o tempo, ele ainda vai todos os dias, simplesmente porque ele a ama.

7. James Davis

James Davis conheceu Patsy quando ele tinha 11 anos e ela tinha sete anos. O primeiro encontro aconteceu quando eram adolescentes no festival de morango, depois disto eles se tornaram inseparáveis. Eles se casaram em 1961 e tiveram cinco filhos juntos. Cerca de 30 anos atrás, eles se mudaram para sua casa em Stevenson, Alabama. À medida que envelheciam juntos, Patsy sofria de várias doenças, e James se aposenta para ajudar a sua esposa. Perto de sua morte aos 48 anos, Patsy pediu para James enterrá-la em seu quintal, e ele não pode negar a ela o seu último desejo de morte, por isso, quando ela faleceu em abril de 2009, James enterrou Patsy no seu quintal da frente ao lado da varanda, com direito à uma lápide.

LEIA TAMBÉM  40 coisas que devemos fazer depois de morrer

10 pessoas que simplesmente não puderam dizer adeus (7)

Enterros particulares são permitidos no Alabama, mas não são permitidos dentro dos limites da cidade. E outro grande problema é que, quando James morrer, ele pretende ser enterrado ao lado de sua esposa. Com seus corpos enterrados lá seria impossível vender a terra de novo, então foi exigido que o corpo fosse removido. Davis iniciou uma disputa legal que durou quatro anos, seu caso chegou até a Suprema Corte do Alabama, mas ele perdeu a causa por 5 votos a 3. E em 15 de novembro de 2013, ele finalmente concordou em permitir que as autoridades da cidade exumassem sua esposa para ter seus restos cremados. No entanto, ele está agora se recusando remover a lápide, que também é proibido pelo estatuto social da cidade.

6. Faizul Hasan Kadari

Quando a esposa de Faizul Hasan Kadari faleceu em dezembro de 2011, ele ficou preocupado que ela não fosse lembrada, já que os dois não tiveram filhos. Kadari então fez uma promessa a sua esposa em seu leito de morte, que ele iria fazer algo para garantir que ela seria sempre lembrada. Inspirado pelo imperador Mughal Shah Jahan, Kadari está construindo sua própria miniatura do Taj Mahal, a construção de sua versão teve início em Bulandshahr, no estado indiano de Uttar Pradesh, em fevereiro de 2012. O Mini Taj Mahal tem 15 metros por 15 metros e é composto de arenito, redstone, cimento e ferro.

10 pessoas que simplesmente não puderam dizer adeus (6)

Ele usou todo dinheiro poupado e sua herança de família foi vendida para financiar a construção do prédio que abrigará o corpo de sua esposa e será lugar de descanso final de Kadari. Infelizmente, Kadari ficou sem dinheiro, por isso ele não tem certeza de como irá completar seu monumento. Kadari se recusa a receber doações para completá-lo porque ele quer fazê-lo sozinho. Atualmente Kadari tem 77 anos de idade e está preocupado em não completar a estrutura antes que ele faça companhia à sua amada.

LEIA TAMBÉM  Luta com lâmpadas fluorecentes - Japão

5. Ruth Huber Bostic

Durante o período de 14 anos, a casa de Ruth Huber Bostic em Raleigh, Carolina do Norte tornou-se mais e mais decrépita. A única parte do terreno que Ruth cuidava era seu jardim, onde foi visto muitas vezes conversando com suas plantas. Por outro lado a casa e o quintal estavam em frangalhos. Além de suas plantas, ela não conversa com mais ninguém em sua rua. A única vez que conversou com alguém, ela contou histórias bizarras sobre como trabalhou em um dos campos de concentração de Hitler. Contudo as suas atividades na vizinhança consistia em gritar com as pessoas e expulsá-las para fora de seu gramado. Isto, naturalmente, levou a alguns desentendimentos com vizinhos. Depois de muitas vezes pedir para algumas pessoas limparem seu jardim, ela derramou concreto. Seus vizinhos sempre acharam que ela era apenas uma mulher mentalmente doente, que vivia em uma casa suja depois de seu marido tê-la abandonado 14 anos antes.

10 pessoas que simplesmente não puderam dizer adeus (5)

Ruth estava tão alienada de todos na sua vida, que seu corpo foi descoberto um mês depois de sua morte em janeiro de 2010. Isto só foi possível porque o carteiro percebeu que ela não estava pegando sua correspondência. Poucos meses depois de sua morte, a polícia recebeu pedidos de informação sobre o paradeiro do marido de Ruth. Seus cheques da Segurança Social estavam indo para uma conta conjunta que agora estava fechado devido à morte de Ruth. A polícia começou a investigar e descobriu que a última vez que alguém tinha recordado falar com David foi em 1994. Durante uma busca na casa, encontraram um registro que mostrou que ele votou em 1996, mas depois disso, não havia mais sinal dele. A polícia conversou com os vizinhos, que lhes disseram quanto tempo Ruth gastava em seu jardim antes dela ter derramado concreto sobre ele. Os detetives removeram o cimento, cavaram o jardim, e encontraram o corpo de David. Com a descoberta ficou esclarecido por que ela estava tão defensiva com seu jardim.

4. Margaret Bernstorff

A família Bernstorff se mudou para sua casa em Evanston, Illinois em 1920. A família de Frank e Lilian iria crescer naquela casa, onde tiveram quatro filhos: Anita, Frank, Margaret, e Elaine. As crianças nunca se casaram e nunca saíram da casa. Margaret foi a mais notável dos quatro irmãos. Ela era amigável com os vizinhos, o suficiente para que seus vizinhos lhe atendesse com pequenos favores. O fato dos vizinhos verem apenas ela intrigou a todos, já que seus irmãos raramente foram vistos fora de casa. Elaine Bernstorff, que nasceu em 1916 foi vista pela última vez viva no início de 1980. O segundo foi Frank, que morreu em 2003 com 80 anos. A mais velha dos quatro irmãos foi Anita, que morreu aos 98 anos.

10 pessoas que simplesmente não puderam dizer adeus (4)

O estranho é que Margaret nunca disse a ninguém que seus irmãos haviam morrido. Quando as pessoas perguntavam onde estavam, ela apenas explicava que eles foram viver com outros parentes. Mais tarde os corpos foram encontrados pela polícia, em duas partes diferentes da casa com cobertores jogados sobre eles. Todos eles pareciam ter morrido de causas naturais.

3. Tsiuri Kvaratskhelia

10 pessoas que simplesmente não puderam dizer adeus (3)

Perder um filho é o pior pesadelo para qualquer pai. É compreensível que um pai ache muito difícil enterrar seu filho, mas sabemos que isto é muito importante para o processo de luto. A triste verdade sobre a morte é que as pessoas vivas precisam seguir em frente. Tsiuri Kvaratskhelia também sentiu na pela a dificuldade em deixar seu filho partir. Joni, morreu de causas desconhecidas com 22 anos em 1995. Desde então, cuida do corpo de seu filho no porão de sua casa na Geórgia. Ela vem mantendo seu corpo com decapagem com álcool e cobrindo-o com folhas. Ela o troca de roupa a cada aniversário, mas teve que parar de fazer isso em 2010, quando a decomposição alcançou níveis muito extremos. Tsiuri justifica este comportamento pois Joni teve um filho antes de morrer, e por ter sido um bom homem ela queria que seu neto conhecesse o pai.

LEIA TAMBÉM  Artista costura retratos de sua família na palma da mão

2. Le Van

10 pessoas que simplesmente não puderam dizer adeus (2)

O casamento de Le Van com Pham Thi Suong foi arranjado por seus pais, que eram vizinhos. Eles não se amavam quando se casaram, mas ao longo dos anos, o amor cresceu junto com a família. Ao todo, eles tiveram sete filhos juntos, mas infelizmente, o casamento deles terminou de repente em 2003, quando Pham faleceu. Desolado, Le ia todas as noites para o cemitério por 20 meses para dormir em seu túmulo . Ele mesmo cavou um túnel que permitia visitar sua esposa, mas certa ocasião seus filhos descobriram e o proibiram de ir ao cemitério. Inconformado com a decisão dos filhos ele desenterrou o corpo dela em novembro de 2004, e trouxe para casa envolto em barro. Ele pintou o barro para se parecer com uma mulher, e colocou algumas roupas dela, e deitou em sua cama onde permanece desde então. Le Van limpa a estátua diariamente para que ela permaneça bonita, ele também compra maquiagem, além de fazer vestidos novos para ela. As autoridades tentaram remover o corpo, mas apesar de seus esforços não foram legalmente capazes de levar o corpo de Le Van.

1. Casie

Uma mulher conhecida apenas como Casie, que também apareceu no programa Meu Estranho Vício no canal TLC, conheceu seu marido, Shawn em 2008. A mãe de Casie disse que sua filha ficou muito feliz ao se casar com Shawn. A vida foi boa por dois anos e meio, até que um ataque surpresa de asma matou Shawn pouco tempo depois de se casarem, tornando Casie uma viúva de 26 anos de idade.

10 pessoas que simplesmente não puderam dizer adeus (1)

Casie foi compreensivelmente devastada pela perda, mas o que não é compreensível é como Casie lidou com a morte. Shawn foi cremado e ela levava suas as cinzas onde quer que fosse. Ela conversava com as cinzas e até mesmo fazia o jantar para eles dois. Mas não termina aqui, pois um certo dia Casie acidentalmente deixou algumas das cinzas em seu dedo e pensou que seria desrespeitoso para ela limpar em uma toalha. Ao invés disso, ela decidiu lambê-lo, a partir de então ela continuou a comer as cinzas de Shawn, consumindo 450 gramas ao longo de cinco meses. Ela descreve o sabor como uma combinação de “ovos podres, areia e lixa”, e afirma que isso só a fez amá-lo cada vez mais. Como você pode imaginar, este procedimento pode desencadear diversos problemas de saúde. As cinzas não contém apenas o corpo carbonizado de Shawn, mas também contém pequenas quantidades de fluido de embalsamento, o que pode levar à psicose. Mas Casie não liga para as consequências, pois ela está preocupada em consumir 2,3 quilogramas de cinzas que ainda restam, até que não haja mais nada de Shawn.

Fonte Listverse